A arte

O Santuário representa um ponto central de referência para a história artística genovesa pois é considerado o protótipo das igrejas setecentistas da Liguria. No entanto a sua arquitetura se destaca sobretudo pela alta qualidade do simbolismo místico, que num modo admirável consegue traduzir em termos plásticos  a beleza e a presença de Deus. A planta da igreja tem a forma de um octógono irregular, uma variante do esquema barroco elíptico.

Ao longo dos lados do octógono vão-se formando seis arcos - os centrais que se elevam atingindo a altura na sua totalidade - salas que correspondem  e destinadas a colocação de capelas. A partir da sala central se prolongam o prebistério e o coro ligeiramente mais estreitos mas muito profundos; acessíveis através da subida de duas escadarias laterais, ligadas em cima por um parapeito.

chiesa

O espaço debaixo é delimitado por um portão, aliás muito lindo, onde está situada a capela ou scurolo de Nossa Senhora, da qual se estende uma ampla escadaria central. Cada uma das três escadarias resultam  formadas de quinze degraus como as do templo de Jerusalém onde os peregrinos subiam cantando os quinze salmos, “dos degraus”. Além disso a escadaria descendente e as duas ascendentes ilustram o itinerário da conversão cristiana a Deus: antes de mais nada é necessário descer  até a humildade do coração, para depois subir à nova vida. Lembra-nos disso a cartilha de mármore que introduz à cripta: Ela converte à rocha do pecador em fonte de águas de graça (salmo 113) como também o celebre texto de Agostinho: O homem, se queres subir desce; tu, que por querer subir,  desceste (Conf. 4, 12, 19).

A capela da Madonnetta é naturalmente o centro íntimo do Santuário; de fato o desenvolvimento arquitetônico da igreja, semelhante a um abraço, tende naturalmente para o altar onde acolhe o nicho de  Nossa Senhorconvertit rupema. Essa também tem a forma octogonal e reproduz em miniatura a linha e a decoração da sala superior. Ora, a linha octogonal é particularmente perfeita à esta igreja, um desejo de Maria para a ressureição dos pelegrinos. O número oito para os primeiros cristãos simbolizava a ressureição de Jesus, de fato Jesus ressuscitou no oitavo dia; pela mesma razão nas pinturas dos altares do santuário se encontra a estrela de oito pontas, que representa Cristo ressuscitado.

cappella

O piso da igreja, desenhado com a forma de raios de Schiaffino em branco e bardiglio (mármore) (1740), conflui para o centro de uma claraboia octogonal, elegante e da qual se vê a Pietà de A. M. Maragliano (1732), colocada numa minúscula capela decorada com os símbolos da Paixão. Nas paredes da santuário estão dispostos vinte medalhões ovais ou mixlíneos, que acolhem os S. Relicários, revestidos de suntuosos estuques dourados  guardadas no Santuário e são mais de vinte mil: um verdadeiro primado de  valor inestimável. No alto, a borda, descontinua, introduz um autônomo sentido de leitura espacial e decorativa: sobre esse, verte um teto limpo, iluminado pelas formas ovais das janelas.

Por cima da entrada se eleva o orgão, construído em duas fases obra de Lorenzo Roccatagliata (1733) e de Carlo Giuliani (1844), composto por um duplo teclado entalhado, uma pedaleira e quarenta gravações. A caixa do prospécto provém do convento de Albissola Superior, enquanto a cantaria foi esculpida pelo escultor De Negri. Foi recentemente  restaurado e inaugurado com uma cerimônia solene.

organo

Nos altares laterais, realizados por Carlo De Marchi (1737), foram colocadas seis “pale” (pinturas) de grandes dimensões: Madonna della Cintura con Santi Agostiniani (Milão, 1729), Gesù e la madre di Giacomo e Giovanni (G.B. Paggi, metade de 1600), Annunciazione (Giuseppe Galeotti, 1738), Immacolata (atribuída a B. Guidobono, fim de 1600), Crocifissione (Giovanni Raffaele Badaracco, fim de 1600), Madonna del parto (atribuída a B. Guidobono, fim de 1600). O altar-mor obra de D. Stella (1715)  sobreposto pelo Crucifixo de madeira de Cambiaggio ( fim de 1600), protegido por uma cobertura pintada em ouro; esse foi doado pelo Fundador, mas exposto aqui só em 1763. Aos lados do altar encontram-se duas grandes custódias dos Relicários, obra de Nicolò Pantano (1715). Ao sumo da abside dominante é a estátua de madeira de Nossa Senhora, Rainha de Gênova (Domenico Bissone, fim de 1500); embaixo esplende o magnífico coro de madeira, con entalhes que reproduzem os símbolos marianos das litanias (Francesco Parodi, 1868).

pieta

A decoração da capela de Nossa Senhora é um pouco mais rica. O altar de mármore, está ornado de entalhes e de um rico cibório; por cima um pequeno e delicado templo pousa nos quatro balaustres de alabastro; obra feita por F. Quadro, pela família Gaggini, e por F. Schiaffino. O arco da volta e o fundo da capela foram pintadas de afrescos pelo Guidobono onde figura a Glorificazione dell'Assunta (1697), enquanto as paredes são revestidas de mármore e ornadas de seis medalhões-relicários. A estátua da Madonnetta, decorada com frisos de ouro, provenientes de Trapani  é uma cٕópia de Nossa Senhora venerada naquela cidade (G. Romano, fim de 1600). Em 1686 foi levada para Gênova pelo mercante de Savona G. B. Cantone, e doada ao P. Carlo Giacinto por Isabella Moneglia Salvago depois da morte da mãe Eugenia.

reliquiario

reliquiario2

A parte externa da igreja não está decorada; a fachada e os muros que recintam a praça é que  tinham sido pintados de afresco mas como estão expostos a norte e com o passar do tempo e o próprio mau tempo fizeram com que tudo isso desaparecesse. Ao fundo da praça coberto por um espetacular mosaico feito de pedras brancas e pretas, posa uma contorcida Pietà (D. Parodi, 1700). A arte na Madonnetta não encarna somente a comoção do artista, mas a alma do Pe. Carlo Giacinto e anuncia uma presença excepcional da misericórdia de Deus e de Maria.